teste hidrostático de mangueiras de incêndio

Escrito por Vítor Fernandes

Diretor na OFOS com mais de 10 anos de experiência no mercado de prevenção e combate a incêndios

A manutenção e o teste hidrostático em mangueiras de incêndio servem para conferir suas condições físicas e estruturas. O teste deve ser feito de forma periódica e regular, a fim de garantir o perfeito funcionamento da mangueira em caso de necessidade. 


As mangueiras são umas das principais armas do Corpo de Bombeiros no combate as chamas. Fazer a manutenção e o teste hidrostático em mangueiras de incêndio, de acordo com a NBR 12779, garante que elas estejam sempre em condições de uso.

Além disso, manter o teste hidrostático em dia, impede que você tenha problemas com o Corpo de Bombeiros na hora de obter ou renovar o seu AVCB ou caso seu imóvel sofra uma fiscalização surpresa.

O teste pode ser conduzido por empresa qualificada e registrada no INMETRO. Os serviços podem ser prestados nas dependências da empresa responsável, ou até mesmo no cliente.

Conheça os 5 tipos de mangueiras de incêndio

Cada um dos cinco tipos atende a diferentes imóveis e especificações. Vai depender da pressão de trabalho solicitada – quanto maior o local e maior o risco de incêndio, maior será a pressão de trabalho – e da condição de abrasividade no uso, o que pode acarretar em sérios danos a mangueira.

Fora isso, as mangueiras variam de tamanho – podem ser de 15, 20, 25 ou 30 metros de comprimento – e espessura – podem ser de 1.½ (40mm) ou 2.½ (65mm).

Veja as características de cada um dos tipos:

  • Tipo 1: Exclusiva para uso em condomínios e edifícios residenciais. Possui apenas um reforço têxtil e a pressão de trabalho é de no máximo 980 kPa (10kgf/cm²). Por isso, não pode ser instalada em prédios de escritórios, hospitais, shopping centers, hotéis e lojas comerciais por exemplo;
  • Tipo 2: Largamente utilizada em edifícios comerciais, industriais e pelo Corpo de Bombeiros. Conta com um reforço têxtil e pressão de trabalho máxima de 1.370 kPa (14kgf/cm²);
  • Tipo 3: Utilizada na área naval, industrial, e pelo Corpo de Bombeiros. Conta com dois reforços têxteis sobrepostos, o que confere maior resistência a abrasividade. A pressão de trabalho é de no máximo 1.470 kPa (15kgf/cm²);
  • Tipo 4: Mangueira exclusiva para área industrial. Construída com um reforço têxtil, acrescido de uma película externa de PVC, o que garante maior resistência a abrasividade e a produtos químicos. Sua pressão máxima de trabalho é de 1.370 kPa (14kgf/cm²);
  • Tipo 5: Mangueira exclusiva para área industrial. Construída com um reforço têxtil, acrescido de um revestimento externo de borracha, o que confere maior resistência a abrasividade e ambientes com alta temperatura. A pressão de trabalho é de no máximo 1.370 kPa (14kgf/cm²).

Qual a validade do teste hidrostático em mangueiras de incêndio?

Poucos gestores e responsáveis por imóveis tem a noção que a validade do teste hidrostático em mangueiras de incêndio é de 1 ano, sem exceção.

Além disso, a cada 6 meses deve ser feita uma inspeção visual nas mangueiras, a fim de garantir sua integridade, caso o uso se faça necessário. Essa inspeção pode ser feita por leigo, e serve apenas para verificar se não há cortes ou furos na mangueira.

Ao final do teste a mangueira deve receber uma etiqueta comprovando a realização do teste.

A etiqueta deve mostrar qual empresa realizou a manutenção, o tipo, comprimento e espessura da mangueira. Indica ainda, o mês e ano da realização do último teste e quando deverá ser realizado o próximo.

Modelo de etiqueta de teste hidrostático de mangueiras de incêndio

Normalmente a marcação é feita através de pequenos furos na etiqueta.

Recomenda-se que sejam feitas inspeções de forma mais regular em mangueiras dos tipos 2, 3, 4 e 5 que estejam expostas a condições extremas, como produtos químicos, altas temperaturas e umidade elevada.

Ao comprar ou inspecionar uma mangueira, deve-se certificar que ambas as extremidades possuam identificação. Devem constar marca ou nome do fabricante, número da norma ABNT regulamentadora, tipo da mangueira e mês/ano de fabricação.

Veja o exemplo abaixo:

Mangueira de incêndio em preto e branco

Como deve ser feito o teste hidrostático nas mangueiras de incêndio?

O teste deve ser conduzido por empresa especializada, que possua os equipamentos apropriados e siga os procedimentos determinados pelo INMETRO.

A primeira parte do teste hidrostático em mangueiras de incêndio é visual. A mangueira não pode apresentar abrasão, machas e resíduos de produtos químicos e ausência de marcação conforme ABNT 11.861. Além disso, a união não pode apresentar deformidades, devem acoplar de maneira suave e não podem ter deslizado em relação a mangueira.

Dependendo das condições da mangueira ela pode ser reprovada já no teste visual, sem haver a necessidade de se realizar o teste.

O segundo passo é realizar o teste hidrostático. Uma das extremidades da mangueira é acoplada na máquina de teste e na outra se coloca um tampão. A mangueira então, é preenchida com água, pressurizada de acordo com a norma – Tipo 1 (12kgf/cm²) Tipos 2,4 e 5 (17kgf/cm²) Tipo 3 (18kgf/cm²) – e deve suportar a pressão por 1 minuto.

Com a mangueira pressurizada é possível verificar se há vazamentos. Se for encontrado qualquer vazamento, por menor que seja, a mangueira será reprovada.

A pressão é aliviada e mangueira deve ser seca antes de ser enrolada. Caso a mangueira seja reprovada, deve conter a inscrição “REPROVADA” escrita em letras grandes em suas extremidades e no meio.

O que é a empatação de mangueira de incêndio?

Na realização do teste, algumas mangueiras que são reprovadas, podem ainda serem reaproveitadas. Problemas como uniões desgastadas ou mal vedadas e vazamentos, podem ter salvação. Existe apenas uma condição, a mangueira não pode perder mais de 2% de seu tamanho nominal. Ou seja, para uma mangueira de 15 metros, apenas 3 centímetros.

A empatação nada mais é do que, cortar a ponta da mangueira onde está a união desgastada ou furo e substituir por uma nova união, dando assim, nova vida a mangueira.

8 dicas para aumentar a vida útil das suas mangueiras de incêndio

Se alguns simples cuidados, forem devidamente tomados no armazenamento e na utilização das mangueiras, sua vida útil será muito maior:

  1. A mangueira deve ser utilizada somente por pessoal treinado;
  2. Não utilizar a mangueira para lavagem de garagens, pátios e nem no treinamento de Brigadas de Incêndio. Caso haja a necessidade, adquira uma mangueira apenas para esses fins;
  3. Não arraste as mangueiras pelo chão e guarde-a sempre seca;
  4. Cuidado com as quedas, pois podem danificar as uniões;
  5. Enrole a mangueira corretamente. Dobre-a de forma que as extremidades fiquem para o mesmo lado, com um metro de diferença uma da outra. Enrole a mangueira a partir do meio até que as uniões se aproximem;
  6. Não armazene sob a ação direta do sol ou de vapores químicos;
  7. Caso esteja suja, remova com jato de água, detergente neutro e uma escova macia;
  8. Evite manter a mangueira conectada no hidrante.

Quer saber mais detalhes?

Entre em nosso site www.ofos.com.br e visite nossa página no LinkedIn.

Tem interesse em conhecer melhor os extintores de incêndio? Acesse este outro artigo: Os diferentes extintores de incêndio.

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

WhatsApp WhatsApp - Fale Conosco